Falta um ano para as Eleições 2022 – saiba como o Tribunal está se preparando

04/10/2021

Você sabe o que o último sábado representou no calendário eleitoral? A data marcou que estávamos a exatamente um ano das próximas eleições, já que o 1º turno de votação será realizado em 2 de outubro de 2022. Pode parecer que ainda falta muito e vai demorar para chegar. Mas o Tribunal tem muita coisa para preparar e garantir que o pleito aconteça de forma organizada e segura.

Veja só o que já está sendo feito por algumas unidades da Secretaria.

Secretaria de Gestão de Atos Eleitorais e Partidários

As coordenadorias e núcleos vinculados à SGE estão realizando estudos e planejando ações relacionadas aos ambientes de eleição, Comissão de Auditorias da Votação Eletrônica, comissão de apuração, mesários, prestação de contas e propaganda. Também estão sendo revistos fluxos de trabalho e manuais, para prestar um apoio mais eficiente às zonas eleitorais. Tudo está sendo feito a partir de questões identificadas na Matriz de Riscos Eleições 2020, que contou com a participação de servidores de cartórios.

Em breve, serão iniciados os trabalhos da Matriz de Riscos Mesários, que visa identificar eventuais riscos ligados à convocação e atuação dos mesários, para planejar ações de mitigação.

O mutirão de prestação de contas deve acontecer em formato virtual. Para isso, a Seção de Auditoria e Fiscalização de Contas Eleitorais (SACOE) está desenvolvendo, junto com a Escola Judiciária, um ambiente digital que servirá como banco de consulta para os servidores que participarem do mutirão.

E a Seção de Propaganda e Anotações Partidárias fez um relatório detalhado com análises do aplicativo Pardal, por meio do qual são feitas denúncias de irregularidades na propaganda eleitoral, para elaborar sugestões de melhoria e encaminhá-las ao TSE.

Enfrentamento à Desinformação

Um grupo de trabalho formado por representantes da Coordenadoria de Comunicação Social, Secretaria de Tecnologia da Informação, Escola Judiciária, Coordenadoria de Gestão Estratégica e Diretoria-Geral está discutindo as medidas que o Tribunal deve adotar para combater a desinformação e fortalecer a credibilidade da Justiça Eleitoral e do processo eletrônico de votação. Em meados de setembro foi realizada uma reunião para construir a matriz SWOT, com a identificação das forças e fraquezas do Tribunal, oportunidades e ameaças relacionadas ao tema. A partir dela, os integrantes do grupo apresentaram diversas sugestões de ação, que serão compiladas e analisadas para definição das prioridades.

Na próxima quarta-feira (6), falaremos sobre as ações e projetos de TI vinculados às Eleições 2022.