Colegas falam de sua gratidão pela experiência como estagiários no TRE

Criatividade, alegria e comprometimento. Com essas qualidades, as estagiárias e os estagiários chegam para aprender com nossa experiência. Mas, muitas vezes, nós também aprendemos com esses jovens. E assim tem sido essa troca de experiências no ambiente de trabalho entre nós, servidoras e servidores, magistradas e magistrados, com 145 estagiárias e 67 estagiários que buscam o TRE para aplicar, na prática, o que aprendem, na teoria, em suas faculdades.

Acolher essas pessoas e colaborar para o aprimoramento de suas capacidades é um ato de empatia, que rende muitos resultados. Ganha o Tribunal, com novas ideias e criatividade; ganham as estagiárias e estagiários que adquirem vivência e conhecimentos que levarão para toda a vida.

De estagiário a servidor

O estágio pode mudar a vida de muitos estudantes. O servidor Thiago D’heronville Pires trabalha na Seção de Gestão do Desempenho e Apoio à Governança de Pessoas (Sedeg)/SGP e ainda se lembra do tempo em que era estagiário no TRE: “Comecei em 2010 e fiquei um ano na Seção de Auditoria e Fiscalização de Contas Eleitorais, Sacoe. Aprendi muito sobre prestação de contas”. Thiago explica que a experiência como estagiário no serviço público reforçou sua motivação e “serviu como combustível” para fazer o concurso do Tribunal. E valeu a pena! Em 2014, iniciou sua carreira como servidor e o aprendizado no estágio foi uma base muito importante para o trabalho desenvolvido. “Eu vim com a bagagem do estágio para as Eleições de 2016, explica. Hoje, na Sedeg, Thiago relembra os dias de estágio no Tribunal com muita gratidão: "Sou muito grato pelos ensinamentos, pela companhia, pela amizade de todas e todos que trabalharam e que trabalham comigo. Agradeço ao TRE por tudo, pelo aprendizado, pelas memórias e pelas amizades, que irei carregar comigo por toda a minha vida".

Da matemática ao Direito

Vitor Manuel Barros da Silva, estagiário da 158ª ZE, de Lajinha, desenvolveu o gosto pelo Direto aqui no Tribunal: “minha família é da área de exatas e todos gostam de matemática, mas com minha experiência no TRE, acabei optando pelo Direito". Vitor iniciou como estagiário do ensino médio, no final de 2017, e permaneceu por um ano e seis meses. Agora, já no quarto período do curso de Direito, retornou como estagiário de nível superior, totalmente adaptado à equipe do cartório eleitoral: “eles me ensinam e me ajudam muito. O estágio no TRE é muito bom!”

O TRE tem estudantes, não só no Direito, mas também nas áreas de administração, engenharia civil, estatística, jornalismo, história, arquitetura, pedagogia, design gráfico, ciências contábeis, cinema e vídeo, além daqueles que estão cursando o nível médio.