Eleitor do Futuro

banner

O projeto ELEITOR DO FUTURO foi criado pelo Ministro Sálvio de Figueiredo Teixeira em 2002, quando exercia o cargo de Corregedor-Geral Eleitoral, no TSE. Desde sua criação, o projeto passou por adaptações regionais, sendo agora aplicado por Escolas Judiciárias Eleitorais em todo o Brasil com o mesmo objetivo comum de contribuir na formação do jovem eleitor.

Em Minas Gerais, o formato atual do projeto foi instituído pela Resolução nº 918/2013/TRE-MG, que passou a contemplar as escolas de todo o estado de Minas Gerais com a visita de magistrados e de servidores das diversas zonas eleitorais. Nessas visitas, são conduzidas dinâmicas sobre cidadania política e eleições, com a participação ativa dos estudantes e a possibilidade de simulação na urna eletrônica.

Contudo, a proposta inicial do projeto não se mostra mais suficiente para atender às demandas por ações de cidadania executadas por formadores internos. Sendo assim, se fez necessária a criação do Programa Eleitor do Futuro, e o seu desmembramento em quatro projetos específicos, classificados de acordo com os formadores envolvidos e o tipo de ação a ser promovida, quais sejam: Eleitor do Futuro – Zonas EleitoraisEleitor do Futuro – Inovação, Eleitor do Futuro – Extensão Universitária e Eleitor do Futuro – Formação de Professores.

Cidadania

Partimos da compreensão da cidadania como disposição para participar e para transformar sua vivência político-social. Dessa forma, a cidadania política é necessariamente um conceito implicado com a democrática, já que parte da premissa de que todas as pessoas têm o direito de protagonizar a construção de sua vivência social, razão pela qual devem ser continuamente incluídas nos processos de tomada de decisão.


Eixos temáticos do projeto:

  1. Segurança e a credibilidade do sistema de voto eletrônico;

  2. Educação digital para a cidadania e combate às Fake News;

  3. História da Justiça Eleitoral e do voto no Brasil;

  4. As consequências jurídicas da abstenção, do voto branco e do voto nulo;  

  5. Funcionamento do sistema proporcional;

  6. Canais de comunicação e denúncia da Justiça Eleitoral;

  7. Combate à compra e venda de votos;

  8. Alistamento eleitoral.

Saiba mais: clique aqui para conhecer as diretrizes dos projetos de cidadania da EJEMG

Solicitação das Dinâmicas - Clique aqui

A escola interessada em participar do Projeto Eleitor do Futuro - Zonas Eleitorais faz a solicitação de visita por meio de preenchimento de formulário eletrônico, no qual o professor solicitante sugere a data e horário da dinâmica. O cartório eleitoral fará contato com o professor para agendar o dia da dinâmica, de acordo com a disponibilidade de agenda dos magistrados e servidores.

No dia acordado, o juiz ou o servidor da Justiça Eleitoral comparecerá à escola para conduzir a dinâmica com os estudantes. Caberá aos professores responsáveis, além de acompanhar a ação, prestar o apoio logístico e técnico aos servidores e juízes.

Avaliação das Dinâmicas

Após a visita, o professor responsável receberá um e-mail com o link para acessar o formulário de avaliação da dinâmica, que deverá ser preenchido pelo próprio professor. Os dados da avaliação são sistematizados e monitorados pela Escola Judiciária Eleitoral, e servirão para subsidiar o aprimoramento do Projeto Eleitor do Futuro - Zonas Eleitorais.

O material didático foi elaborado para servir como objeto de aprendizagem a ser utilizado a critério dos magistrados e servidores da Justiça Eleitoral que atuam como formadores do programa Eleitor do Futuro.

Ele é constituído por um guia de conteúdo para o formador, no qual os eixos temáticos são desdobrados em formato de perguntas e respostas para auxiliar a preparação dos magistrados e servidores que conduzem as dinâmicas.

Também compõe o material uma sugestão de slides que pode ser usada pelos formadores nas ações a serem desenvolvidas nas escolas de ensino médio; bem como vídeos referentes aos eixos temáticos do programa.

Eixos temáticos do projeto:

  1. Segurança e a credibilidade do sistema de voto eletrônico;

  2. Educação digital para a cidadania e combate às Fake News;

  3. História da Justiça Eleitoral e do voto no Brasil;

  4. As consequências jurídicas da abstenção, do voto branco e do voto nulo;  

  5. Funcionamento do sistema proporcional;

  6. Canais de comunicação e denúncia da Justiça Eleitoral;

  7. Combate à compra e venda de votos;

  8. Alistamento eleitoral.