Nova totalização dos votos de Belo Horizonte altera composição da Câmara Municipal

Já está disponível para consulta na edição desta quarta-feira (5), do Diário da Justiça Eletrônico, o resultado da nova totalização dos votos para vereador em Belo Horizonte, feita em virtude da contagem dos 2.041 votos obtidos pelo candidato Anderson Rodrigues Neves (“Dudu do Salão”).

TRE-MG diretor do Foro de Belo Horizonte juiz Manoel dos Reis Morais. Foto: Cláudia Ramos ASCOM/TRE-MG

Já está disponível para consulta na edição desta quarta-feira (5), do Diário da Justiça Eletrônico, o resultado da nova totalização dos votos para vereador em Belo Horizonte, feita em virtude da contagem dos 2.041 votos obtidos pelo candidato Anderson Rodrigues Neves (“Dudu do Salão”). Houve alteração no quociente eleitoral e partidário e a coligação PT do B/PP, que tinha três cadeiras na Câmara Municipal, passa a ter quatro. Já o PTC, que tinha duas cadeiras, passou a ter apenas uma. O edital com o relatório da nova totalização, assinado pelo juiz diretor do Foro Eleitoral de Belo Horizonte, Manoel de Morais, e publicado no Diário da Justiça Eletrônico (DJE), abre prazo de três dias para contestações a partir de quinta-feira (6).

Com a mudança na composição das bancadas, o candidato José Francisco Filho, o “Pelé do Vôlei” (PT do B, em coligação com o PP), então primeiro suplente, com 4.546 votos, passa a figurar como eleito. Pedro Nogueira Barbosa, o “Pedrão do Depósito”, com 6.079 votos, passou a ser o primeiro suplente do PTC, em virtude da votação obtida por essas agremiações.

Anderson Neves havia sido indeferido pela Justiça Eleitoral mineira por exercer cargo de presidente de Associação mantida com recursos públicos, e não ter se desincompatibilizado de tal cargo no prazo de seis meses, nos termos dispostos pelo art. 1º, II, "a" , 9, da Lei Complementar nº 64/1990. No entanto, o TSE reverteu a decisão do TRE-MG, no dia 29 de novembro, ao considerar que “não há elementos no acórdão de que a Associação dos Moradores e Amigos dos Bairros João Pinheiro e Alto dos Pinheiros fosse, efetivamente, subvencionada ou mantida pelo poder público”, segundo o ministro Dias Tóffoli, relator do caso.

Com a nova totalização, o quociente eleitoral da eleição para vereador em BH passou de 30.600 para 30.650. Não há mais casos de registros de candidaturas de Belo Horizonte pendentes de recurso no TSE.

Últimas notícias postadas

Recentes