MEMÓRIA ELEITORAL DE MINAS GERAIS
           

1932 – criação da Justiça Eleitoral - Inicia-se a produção de documentos e processos; notícias e fotografias em jornais; publicações (Código Eleitoral – o primeiro do Brasil

1937 – extinção da Justiça Eleitoral - (Desaparecem documentos e processos – grande parte apreendida pelo governo ditatorial).

1945 – reinstalação da Justiça Eleitoral

1948 – criação de quadro próprio de servidores (Lei 486 de 29/11.1948) – constituindo a figura do arquivista.

1949 – nomeação do primeiro arquivista do TRE-MG: Francisco Luiz Santos Pereira (Sessão de 03.01.1949).

1950 – Resolução nº 35, de 08.08. 1950 – regulamenta os serviços da Secretaria do Tribunal.

1971 – Criação de comissão para o levantamento dos processos e documentos com guarda permanente.

1987 – Designação de Hélio Vicente Vieira da Costa como chefe da Seção de Arquivo (19.02.1987-12.11.1991), primeiro servidor a se dedicar à causa da preservação da Memória Eleitoral.           

1995 – Na celebração dos 50 anos de reinstalação do TRE-MG foi monta uma exposição de fotos sobre a inauguração da sede do Tribunal, em 1972. Foi feita a primeira pesquisa histórica a partir de entrevistas com os primeiros servidores do Tribunal. 

1996 – Criação do Jornal Mural – onde foram divulgados, pela primeira vez, para o público interno, documentos, fotografias, objetos e relatos históricos da Justiça Eleitoral em Minas Gerais. 

1997 – Criação da Comissão Permanente de Avaliação de Documentos, para elaboração da primeira Tabela de Temporalidade do Tribunal. 

2002 – A Assessoria de Comunicação produziu um vídeo institucional para mostrar a história da Justiça Eleitoral. O vídeo foi exibido na cerimônia de Diplomação dos Eleitos 

2005 – A celebração dos 60 anos de reinstalação da Justiça Eleitoral em Minas Gerais Foi montada uma exposição de documentos, objetos e fotografias, elaboração de um, bem como uma edição especial do Jornal Mural (em forma de revista) com fotografias e artigos de servidores aposentados. 

2006 – Exposição sobre os 10 anos da Urna Eletrônica com urnas antigas e modelos de urnas eletrônicas e de uma solenidade de entrega da Medalha do Mérito Eleitoral “Desembargador Vaz de Mello” ao servidor Roberto Siqueira, pioneiro na informatização do voto em Minas Gerais e no Brasil, e idealizador do teclado da urna eletrônica            

2008 – Inauguração do primeiro espaço próprio para a exposição do acervo da Memória Eleitoral, com resgate das fotografias e biografias dos cinco primeiros presidentes. Paralelamente foi criada uma logomarca para a Memória Eleitoral e Foi criado um hotsite da Memória Eleitoral, com linha do tempo e outras informações. Nesse ano, o Centro de Memória recebeu a visita de grupos de alunos de escolas de primeiro grau. 

2008 – Elaborado o calendário funcional 2009, dedicado à Memória Eleitoral. 

2009 – Em junho, o Centro de Memória é extinto, por ordem do Desembargador José Tarcízio de Almeida Melo, Presidente do Tribunal. 

2011 –Portaria 277, de 09.05.2011, da Diretoria-Geral, inclui atribuições da Assessoria de Cerimonial e Memória Eleitoral no Regimento Interno da Secretaria do Tribunal.           

2012 – Resolução 884, de 08.05.2012, assinada pelo Desembargador José Altivo Brandão Teixeira – institui o Centro de Memória do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. 2011 – Portaria 277, de 09.05.2011, da Diretoria-Geral, inclui atribuições da Assessoria de Cerimonial e Memória Eleitoral no Regimento Interno da Secretaria do Tribunal. 

2012 – Celebração dos 80 Anos de Instalação da Justiça Eleitoral – lançamento de um livreto comemorativo,  aquisição, junto aos Correios e Telégrafos, de selos personalizados , outorgadas Medalhas do Mérito Eleitoral. 

2013 – No dia 14 de junho, aniversário de reinstalação da Justiça Eleitoral, foi realizado o lançamento do livro  do Concurso de Causos - “A História do TRE é também a minha história”, trabalho iniciado em 2012 . 

2013 – No dia 9 de agosto, uma solenidade marcou a reabertura do Centro de Memória da Justiça Eleitoral de Minas Gerais, desta vez no térreo da antiga sede do Tribunal.  Na ocasião, o Centro de Memória ganhou uma nova logomarca