Novembro Azul: A Campanha chega ao fim, mas a prevenção continua

30/11/2021

O Novembro Azul surgiu em 2003 em Melbourne, na Austrália, a partir da iniciativa de dois amigos, Travis Garone e Luke Slattery. Inspirados pela campanha da mãe de um colega, que levantava fundos para o combate ao câncer de mama, Travis e Luke tiveram a ideia de associar o bigode com a conscientização sobre a saúde masculina. Eles escolheram o mês de novembro para deixar o bigode crescer, pois, no dia 17, já se comemorava o Dia Mundial do Combate ao Câncer de Próstata.

Hoje, o Novembro Azul no Brasil é marcado por diversas ações de divulgação sobre o câncer de próstata, como palestras sobre medidas de prevenção e campanhas para a realização do exame físico (toque) e do PSA (exame de sangue que detecta alterações do antígeno prostático específico, que podem ser indicativas dessa neoplasia).

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens no Brasil, atrás apenas do câncer de pele do tipo não melanoma. Tanto é que, para 2018, a estimativa é de mais de 68 mil novos casos da doença.

Entre a população masculina, o tumor de próstata é a segunda principal causa de morte por câncer, fazendo uma vítima fatal a cada 36 homens. Porém, quando detectado precocemente, o tratamento é menos invasivo e oferece mais chances de cura.

Entretanto, como o diagnóstico envolve o toque retal, um exame que ainda é cercado de polêmicas, muitos homens relutam em realizá-lo em função do preconceito. Nesse sentido, um dos objetivos do Novembro Azul é justamente quebrar esses tabus e conscientizar a população masculina de que os cuidados com a saúde devem ser colocados acima dessas barreiras.

Caso ir a um urologista esteja fora das suas prioridades, repense. O exame de toque retal pode parecer desconfortável, mas é uma forma eficiente para identificar o câncer de próstata com rapidez. É possível não sentir dor durante o exame, que dura poucos minutos.

E é possível prevenir o câncer de próstata? Sim. Segundo o médico do INCA, Dr. José Alencar Gomes da Silva, a prevenção pode ser feita por meio da adoção de práticas saudáveis como ter uma alimentação saudável, manter o peso corporal adequado, praticar atividade física, não fumar, evitar o consumo de bebidas alcoólicas e tratar adequadamente a hipertensão, diabetes e problemas de colesterol.

Não dê bola para o preconceito! Faça seus exames!

Acesse a Cartilha do Ministério da Saúde