Confira o 3º Turno sobre “Candidaturas de mulheres e pessoas negras pós EC n. 111/2021”.

28/10/2021

 

A sétima edição do projeto 3º Turno deste ano abordou os impactos positivos e negativos da EC 111/2021 nas próximas eleições. Para a debatedora Nicole Gondim Porcaro, que é  mestra em Direito Público pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), além da emenda constitucional 111, foram aprovadas diversas outras regras. “Então, apesar de ser uma medida boa para as mulheres e pessoas negras, ela está nesse contexto de ser aprovada junto a outras medidas, que podem fragilizar as próprias medidas que já existem para diversificação da representação política”, disse Nicole.

De acordo com o advogado Diogo Fernandes Gradim, que também participou do evento, “essa emenda vai promover uma contagem diferente para fins de distribuição de financiamentos, ou seja, o financiamento ordinário dos partidos ou o financiamento de campanha. Então ela parte do pressuposto que o financiamento é um dos fatores que pode fazer alguma diferença nesse déficit de representatividade, o que é algo interessante”.

O debate foi mediado pela servidora Sabrina de Paula Braga, chefe da 312ª ZE de Santa Luzia, que fez a abertura do evento falando um pouco sobre o Projeto 3º Turno e o tema da live.

O evento está disponível até o final de novembro no EAD da Escola Judiciária Eleitoral EJE-MG, para recebimento do adicional de qualificação.

Confira aqui outras matérias sobre o 3º Turno de outubro:

- 3º Turno de outubro discute candidaturas de mulheres e pessoas negras

- Projeto 3º Turno deste mês vai debater candidaturas de mulheres e pessoas negras