Notícias do TRE - 28 de novembro

Projeto Câmara Mirim de 2019 encerra as atividades em sessão solene

Nessa quarta-feira (27), foi realizada a sessão solene de encerramento da 12ª Legislatura do Projeto Câmara Mirim (CAMIR) de 2019, desenvolvido pelo TRE, por meio da Escola Judiciária Eleitoral (EJEMG), em parceria com a Câmara Municipal de Belo Horizonte, a Prefeitura e a UFMG. A cerimônia, que ocorreu no turno da tarde, na Câmara Municipal, marcou a diplomação dos vereadores mirins eleitos. Além disso, houve a certificação de escolas e professores, a entrega simbólica dos projetos de lei elaborados pelos alunos e o descerramento da foto do presidente mirim de 2018.

Este ano, o Projeto envolveu 4.400 estudantes do ensino fundamental de 15 escolas, 31 dinâmicas e três dias de eleições parametrizadas, que ocorreram no mês de abril. Esse resultado só foi possível graças à atuação dos servidores do TRE, que se destacaram como formadores nas dinâmicas do CAMIR 2019: Carina Helena dos Santos Bortolini (SEPEC), Diogo Mendonça Cruvinel (SEPEC), Eliana Cláudio de Souza (OUV), Emerson Luiz Avelar Matos (316ª ZE), Fabiano Goecking Avelar (SEREF), Grace França Versiani (SEFAE), Henrique José Drumond Américo (SECOI), Juliana de Freitas Dornelas (SEFAE), Lara Marina Ferreira (GJMV), Marcelo Bortolo Ferreira (SEPEC), Marinéia Vieira de Almeida Marques (SEPEC), Milena Gandini Amaral (91ª ZE), Nirley Almeida Costa (SCOMP) e Silvana Garcia Miranda Diniz (SAGOV).

O projeto Câmara Mirim é uma iniciativa que busca o desenvolvimento da consciência política e participativa da sociedade através da educação cidadã. A cada ano, são eleitos 45 vereadores mirins, que se reúnem uma vez por mês, na Câmara Municipal de Belo Horizonte, onde aprendem sobre processo legislativo, desenvolvem habilidades de oratória e trabalho em equipe, discutem problemas das comunidades e formulam propostas para solucioná-los. Ao final do projeto, os vereadores mirins discutem e votam as propostas, em sessão plenária. As matérias aprovadas são encaminhadas para a Comissão de Participação Popular da Câmara Municipal que, após análise de viabilidade, pode apresentá-las para tramitação regular no legislativo municipal.

3º turno é nesta sexta

Neste mês, o 3º turno vai discutir o tema “Eleições de 2020: desafios e perspectivas”. O debate, mediado pelo servidor do TRE Diogo Mendonça Cruvinel, mestre em Ciência Política, vai contar com a participação da doutora em Direito e advogada, Marilda de Paula Silveira, e da doutora em Ciência Política e professora da Universidade Federal de Minas Gerais, Magna Inácio. A edição de novembro do Projeto 3º turno ocorre nesta sexta-feira (29), das 17h às 19h, no auditório do prédio 320. As inscrições ficam disponíveis até as 13h desta sexta (29) e a participação dá direito a adicional de qualificação.

Palestra debate riscos psicossociais

Nessa quarta-feira (27), foi realizada a palestra “Avaliação de riscos psicossociais”, direcionada aos gestores do Tribunal, das 14h às 16h, no auditório do Tribunal. No evento, que integra o Programa Cogestor da Saúde, foram apresentados os principais conceitos e resultados da Avaliação de Riscos Psicossociais no Trabalho (Proart). A palestra foi ministrada pela consultora Laene Gama, integrante da equipe da Universidade de Brasília (UNB) responsável pela pesquisa. No evento, foram repassados o conceito de risco psicossocial e a metodologia da avaliação (análise dos fatores de risco: organização prescrita do trabalho, estilos de gestão, indicadores de sofrimento e danos relacionados ao trabalho), analisando em conjunto com os presentes os principais resultados obtidos ao final.

Laene destacou-se a alta adesão dos servidores – foram 1.037 respondentes -, que indicaram a predominância de uma percepção de gestão coletivista na instituição, considerado algo positivo pela professora.

O principal resultado refere-se à classificação do nível de risco psicossocial identificado na instituição, que pode ser baixo, médio ou alto. No caso do TRE, o risco identificado é médio, o que aponta, segundo o relatório final elaborado pela UnB, para a oportunidade de investimento em ações de promoção da saúde, na comunicação organizacional e na comunicação entre equipes.

TRE fomenta debate sobre educação, transformação e cidadania

No dia 6 de dezembro você tem um compromisso com o conhecimento: a juíza federal Ana Cristina Monteiro de Andrade e Silva e o pós-doutor em Filosofia e História da Educação, Gabriel Perissé, vão promover o debate “Educação, transformação e cidadania”, das 9h às 11h, no auditório do Tribunal.

Ana Cristina, além de juíza da 1ª Vara Federal de Joaçaba, em Santa Catarina, atua como formadora da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (ENFAM) e como professora do curso de pós-graduação em Direito Previdenciário da Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC). É graduada em Direito pela UFRS, mestre em Direito do Estado pela PUC/RS, doutora em Business Administration pela Florida Christian University e formada em Coach e Master Coach, com certificação internacional pela Global Accreditacion Board for Coaching. Tem também formação em neurolinguística e coaching, nos Estados Unidos.

Gabriel possui experiência na área de educação, com ênfase em filosofia da educação, atuando principalmente nos seguintes temas: leitura, linguagem, ética, estética, escrita criativa, didática, formação de professores, cultura religiosa e formação cristã (confira mais detalhes no site do palestrante). Possui bacharelado em Letras pela UFRJ, mestrado em Literatura Brasileira pela USP, mestrado em Teologia pela PUC/RS, doutorado em Filosofia da Educação pela USP e pós-doutorado em Filosofia e História da Educação pela UNICAMP.

Essa dupla de peso vai provocar uma reflexão sobre o papel da educação no mundo moderno e sobre como ela pode ser uma força transformadora da sociedade e das instituições públicas. E aí, vai ficar de fora? Inscreva-se pelo CAT.

Pastas ajudam a organizar os processos no PJe

Letícia Cordeiro, que trabalha no gabinete do juiz da Corte Marcelo Vaz Bueno, tem mais uma dica para os colegas de cartórios. No sétimo vídeo da série sobre o PJe, ela explica que cada servidor tem uma pasta dentro do sistema onde ficam listados os processos sob sua reponsabilidade. E cada um pode criar, dentro da sua pasta, subpastas para organizar os processos com os quais está trabalhando.

34 anos de história

Vejam a relíquia que a equipe da 239ª ZE, de Rio Pomba, encontrou no atendimento itinerante do ônibus TRE-Aqui, no município de Tocantins: um título eleitoral emitido no ano de 1985, quando ele era ainda confeccionado a mão e possuía foto.

O documento foi guardado durante esses 34 anos como recordação pelo seu proprietário e, agora, vai integrar o acervo do Centro de Memória do TRE, já que foi doado pelo eleitor.